Pressione Enter

 

Iniciativa ‘Net Zero Asset Managers’

A Santander Asset Management assinou a iniciativa global ‘Net Zero Asset Managers’ como parte de seu compromisso com a luta contra as mudanças climáticas. Com isso, a gestora assume a meta de atingir zero emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050 ou antes e passa a ser o único gestor espanhol a figurar entre os 73 signatários desta iniciativa. A decisão faz parte do compromisso do Banco Santander com a liderança na sustentabilidade. A entidade, que desde 2020 é neutra em termos de carbono nas operações próprias, anunciou no passado mês de fevereiro os seus primeiros objetivos de descarbonização para atingir a neutralidade das emissões derivadas de qualquer um dos serviços de financiamento, assessoria ou investimento em 2050.

“Na Santander Asset Management estamos firmemente comprometidos com a necessidade de reduzir as emissões de carbono, apoiar a transição ecológica e contribuir para um mundo mais sustentável. Ser um dos gestores signatários da iniciativa Net Zero Asset Managers é mais um passo em nossa meta de nos tornarmos líderes e benchmarks, tanto na Europa quanto na América Latina, em ESG. Este compromisso também representa uma oportunidade para continuar a oferecer soluções de investimento inovadoras aos nossos clientes, alinhadas com os seus interesses e preocupações sociais atuais”, afirmou Mariano Belinky, CEO global da Santander Asset Management.

A iniciativa ‘Net Zero Asset Managers’ tem um total de 73 entidades signatárias globais, representando US $ 32 trilhões de ativos sob gestão. Foi lançado no dia 12 de dezembro, coincidindo com o quinto aniversário do Acordo de Paris, em reunião denominada Climate Ambition Summit 2020, co-organizada pela presidência britânica da COP26, da ONU e da França.

Em maio de 2020, a Santander Asset Management tornou-se a primeira entidade espanhola de alcance global a integrar o Grupo de Investidores Institucionais sobre Mudanças Climáticas (IIGCC), o organismo europeu de colaboração entre investidores em mudanças climáticas e a voz dos investidores. Também é signatária dos Princípios para Investimento Responsável (PRI) das Nações Unidas.